sábado, 23 de julho de 2011

Sexta, 22/07/2011, 21:00h

Na noite dessa sexta-feira, 22/07/2011, dois moleques, um de 14 e outro de 15 +-, depois de usarem drogas resolveram assaltar um mercantil. Eles tinham uma arma. Anunciaram o assalto. As vítimas entregaram tudo o que foi pedido. Aí, acho que a arma ficou muito pesada e o filho da puta resolveu dar 3 tiros pra trás, enquanto corria.

...

...

...

Meu tio faleceu minutos depois.

 

 

Agora uma coisa não sai da minha cabeça: como pode uma vida valer tão pouco? Em segundos um vagabundo desses desestrutura toda uma família? Um apertar de gatilho faz um estrago imensurável? Me digam: PRA QUE SERVE UMA ARMA? Não vejo outra finalidade que não seja a de matar. Mas pena de morte não existe no Brasil! Pra que as pessoas precisam de armas se é proibido matar? Nesse sentido: POR QUE EXISTEM ARMAS NO BRASIL?

Eu estou, e já era, profundamente descrente na ressocialização. Quem não se adequa a essa sociedade deve ser posto em uma outra: a cadeia. Lá eles deveriam trabalhar para comer e de lá nunca sair. E ponto.

Do jeito que é hoje, esse adolescente vai sair pior. Só queria que você soubesse que, assim como você, nós também não esperávamos, não acreditávamos que isso fosse possível. Acontece que, mesmo quando fazemos de tudo para sair vivos de uma situação dessas, ele pode simplesmente dar uns tiros pra trás. Espero do fundo do meu coração que isso não aconteça com você. Mas alguma coisa tem que ser feita.

Tá tudo errado no Brasil. E não é desses erros econômicos que deixam a gente mais pobre. É um erro que cria uma loteria da morte e o bilhete você ganha quando nasce. E no meio de toda essa violência ainda nos aparece essas alterações no Processo Penal. Repito: não precisamos desses indivíduos ressocializados (coisa que hoje não existe). Só queremos viver sem ter por perto um desocupado que pode nos matar a qualquer momento. 

Queria terminar pedindo duas coisas:

1 manifeste-se contra as armas.

2 nunca fale perto de mim na porra da descriminalização de droga nenhuma. É uma questão de respeito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário